Os pisos de madeira foram uma forte tendência nos anos 50 – e o são até hoje – e conservam a história da arquitetura brasileira. Há casas e apartamentos que possuem o mesmo piso de madeira há anos, seja taco ou assoalho.

Passados tantos anos desde sua instalação, os pisos podem apresentar desgastes que poluem seu visual, como arranhões, trincas, perda do brilha e descolamento de rejunte.

Mas é claro que há um jeito de consertar isso e trazer vida a seu piso de madeira novamente. Continue lendo.

Trocar os pisos de madeira por um novo tipo pode sair caro, por isso existem técnicas de restaurar o antigo piso já existente como por exemplo a lixação de parquet ou lixamento de parquet. Aliás, alguns tipos de tacos e assoalhos nem podem ser encontrados mais em estoque e ganham o status de raridade.

A revitalização é uma forma de trazer uma cara nova ao piso e ao ambiente sem ter que gastar com reformas e quebra-quebras. É também sustentável por estar se reciclando um material, preservando-o, ao invés de retirar mais matéria-prima na natureza.

Basicamente, a revitalização é feita lixando a superfície danificada, fazendo a limpeza e aplicando resina para a finalização. Entenda todos os procedimentos a seguir.

Primeiros passos

A primeira intervenção a se fazer é substituir as peças sem condição de uso, que não podem ser revitalizadas.

Verifique se a fixação do piso está firme e fixe novamente os tacos e réguas que estejam soltos. Se você encontrar uma peça solta, não significa que deve ser retirada, mas fixada novamente.

Talvez os buracos onde foram colocados os pregos há tempos atrás podem ter sofrido desgastes. Existe um tipo de material a aplicar que irá tampar os buracos ou a cabeça de pregos e parafusos: a massa de madeira.

O produto é uma massa acrílica a base de água composta com váras tonalidades de madeira. Misturando-as, se chega à cor que melhor complementa o piso. Ao aplicar a massa, ela formará uma camada para esconder os desgastes.

Para entrar nos próximos procedimentos, proteja bem as paredes e se lembre de retirar todos os móveis do cômodo. Só entre no ambiente 48 horas depois da finalização.

Começando a restaurar

Os pisos que podem ser restaurados são os tacos e assoalhos de madeira. Já outros materiais não, como carpete e laminados.

Isso ocorre porque os primeiros são feitos de madeira maciça e por isso possuem cerca de 2 cm de espessura, o que permite que sejam revitalizados até três ou quatro vezes. Os outros tipos de piso são finos e não possuem tal resistência.

Veja também:  Descubra os efeitos das cores na iluminação

Lixando o piso

Para retirar o visual desgastado da madeira deve-se lixar o piso. Pode-se usar lixas de mão para remover desgastes pontuais. Lixe sempre no sentido dos veios da madeira.

Para lixar o piso inteiro deve-se utilizar uma máquina própria para isso que irá usar diferente granulações a fim de atingir a madeira crua. Recomenda-se contratar uma empresa que realize o serviço.

Varra e passe aspirador de pó para retirar os resíduos restantes e deixar o piso completamente limpo e preparado para o próximo passo.

Acabamento

O acabamento do piso pode ser feito por diversos materiais resultando em diferentes tonalidades e cores. Primeiro deve se passar a seladora e depois um dos produtos abaixo:

Verniz: tal material é feito de formol e cria uma película sobre o piso. Pode demorar até um mês para secar completamente, mas o ambiente já pode voltar a ser frequentado em três dias. É geralmente utilizado para áreas internas e até para decks. Necessita de manutenção periódica para conservar a película e não apresentar trincas e rachaduras. Há vernizes brilhantes, foscos e semi-foscos.

Resina: a resina funciona semelhante ao verniz, mas por ser a base de água possui a secagem mais rápida.

Stain: o acabamento é utilizado para decks de madeira e, ao invés de formar uma película, penetra entre as fibras. Isso traz uma aparência mais natural ao piso, sem deixá-lo com brilho, e pode conter substâncias fungicidas.

Após a revitalização

Como já dito, estes tipos de piso podem ser revitalizados mais de uma vez.

Entretanto, para melhor conservar seu piso de madeira e prolongar seu tempo de vida, há algumas medidas a se tomar.

A manutenção e limpeza devem ser frequentes utilizando vassoura de pelo e pano macio levemente umedecido.

O contato com a água deve ser evitado, já que pode danificar a superfície do material, e também solventes orgânicos ou produtos não compatíveis com o acabamento.

Muito do desgaste surge a partir de riscos e arranhões no piso. Para evitar, coloque feltro ou películas de gel nos pés de móveis presentes no ambiente.